terça-feira, 29 de abril de 2014

O Espírito do Anticristo dentro das igrejas


Vocês tem ouvido que vem o anticristo


I João 2:18 ¶ Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora

Devemos provar os espíritos que se manifestam em nosso meio

I João 4:1-4
1  Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no meio de vós
2  Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;
3  e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo.
4 ¶ Filhinhos, sois de Deus e já os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.
5  Do mundo são; por isso, falam do mundo, e o mundo os ouve.

Quermos aqui destacar dois pontos:

1º O ministério de Deus :

9  e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas,

2º É o plano eterno de Deus:

10  para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais,

No capítulo 4 de Efésios o Ap. Paulo nos assegura que: há um só corpo e um só Espírito,...fostes chamados em uma só esperança,...há um só Senhor,uma só fé,um só batismo;um só Deus 

Nos mesmo capítulo e nos versículos 4 e 5 Destaca-se o ensino dos cinco ministérios " ele deu uns para apóstolos,e outros como profetas, e outros como evangelistas e outros como pastores e mestres"
No versículo 11 ele nos adverte "não entristeçais o Espírito Santo de Deus.No qual fostes selados" diz no versículo 30
No capítulo5 Paulo nos dá a ordem "enchei-vos do Espírito" 

No capítulo 6 Paulo aborda o plano de Deus para a família e nossa luta contra o inimigo

Comentário:
Irmãos vivamos o livro de Efésios. Procuremos viver de acordo com a Palavra de Deus,sendo por ela adificados e santificados em todo tempo. Alinhe sua vida na Palavra de Deuse procuremos as rapozinhas que tentam roubar nossas tenras  vinhas que fala em Cantares de Salomão 2:15.

Tirado do livro de Thomas V. Dawson
O Espírito do Anticristo.



quarta-feira, 23 de abril de 2014

A Palavra do Senhor permaneçe para sempre

1 ¶ Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas.
2  Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos.
3  Pois, como dizem as Escrituras Sagradas: “Vocês já descobriram por vocês mesmos que o Senhor é bom.”
4 ¶ Cheguem perto dele, a pedra viva que os seres humanos rejeitaram como inútil, mas que Deus escolheu como de grande valor.
5  Vocês, também, como pedras vivas, deixem que Deus os use na construção de um templo espiritual onde vocês servirão como sacerdotes dedicados a Deus. E isso para que, por meio de Jesus Cristo, ofereçam sacrifícios que Deus aceite.
6  Pois as Escrituras Sagradas dizem: “Eu escolhi uma pedra de muito valor, que agora ponho em Sião como a pedra principal do alicerce. Quem crer nela não ficará desiludido.”
7  Essa pedra é de muito valor para vocês, os que crêem. Mas, para os que não crêem, “A pedra que os construtores rejeitaram veio a ser a mais importante de todas.”
8  E em outra parte as Escrituras Sagradas dizem: “Esta é a pedra em que as pessoas vão tropeçar, a rocha que vai fazê-las cair.” Essas pessoas tropeçaram porque não creram na mensagem, de acordo com a vontade de Deus para elas.
9  Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz.
10  Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo; antes, não conheciam a misericórdia de Deus, mas agora já receberam a sua misericórdia.
11  Queridos amigos, lembrem que vocês são estrangeiros de passagem por este mundo. Peço, portanto, que evitem as paixões carnais que estão sempre em guerra contra a alma.
12  A conduta de vocês entre os pagãos deve ser boa, para que, quando eles os acusarem de criminosos, tenham de reconhecer que vocês praticam boas ações, e assim louvem a Deus no dia da sua vinda.
13 ¶ Por causa do Senhor, sejam obedientes a toda autoridade humana: ao Imperador, que é a mais alta autoridade;
14  e aos governadores, que são escolhidos por ele para castigar os criminosos e elogiar os que fazem o bem.
15  Pois Deus quer que vocês façam o bem para que os ignorantes e tolos não tenham nada que dizer contra vocês.
16  Vivam como pessoas livres. Não usem a liberdade para encobrir o mal, mas vivam como escravos de Deus.
17  Respeitem todas as pessoas, amem os seus irmãos na fé, temam a Deus e respeitem o Imperador.
18  Vocês, empregados, sejam obedientes aos seus patrões e os respeitem, não somente os que são bons e compreensivos, mas também aqueles que os tratam mal.
19  Se vocês suportarem sofrimentos injustos, sabendo que esta é a vontade de Deus, ele abençoará vocês por causa disso.
20  Pois, se vocês fazem o mal e são castigados, qual é o merecimento de suportarem com paciência o castigo? Mas, se vocês sofrem por terem feito o bem e suportam esse sofrimento com paciência, Deus os abençoará por causa disso,
21  pois foi para isso que ele os chamou. O próprio Cristo sofreu por vocês e deixou o exemplo, para que sigam os seus passos.
22  Ele não cometeu nenhum pecado, e nunca disse uma só mentira.
23  Quando foi insultado, não respondeu com insultos. Quando sofreu, não ameaçou, mas pôs a sua esperança em Deus, o justo Juiz.
24  O próprio Cristo levou os nossos pecados no seu corpo sobre a cruz a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta. Por meio dos ferimentos dele vocês foram curados.
25  Vocês eram como ovelhas que haviam perdido o caminho, mas agora foram trazidos de volta para seguir o Pastor, que cuida da vida espiritual de vocês.

Comentário:Ofensa...
Versículos 3á 9 nos fala sobre ofensas.
Nesse mundo pecador é comum as pessoas se ofenderem verbalmente e se voltarem umas contra as outras,caso se sintam magoadas.
Lembrando o ensinamento de Jesus sobre oferecer a outra face (Mateus 5:39).Pedro encorajou seus leitores a não fazerem o mal,mas orarem por seus ofensores.No Reino de Deus,a vingança é um comportamento inaceitável,como também o insulto a outra pessoa,não importando quão indiretamente isse seja feito.Não queira revidar a mágoa que lhe foi causada por alguém.Em vez disso,ore pela pessoa que o ofendeu ou lhe causou algum dano.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Conhecer á Deus e Reconhece-lo


Jeremias 40:1-4


1 ¶ Palavra que veio a Jeremias, da parte do SENHOR, depois que Nebuzaradã, capitão da guarda, o deixou ir de Ramá, quando o tomou, estando ele atado com cadeias no meio de todos os do cativeiro de Jerusalém e de Judá, que foram levados cativos para a Babilônia;
2  porque o capitão da guarda levou a Jeremias e lhe disse. O SENHOR, teu Deus, pronunciou este mal contra este lugar;
3  e o SENHOR o trouxe e fez como tinha dito, porque pecastes contra o SENHOR e não obedecestes à sua voz; pelo que vos sucedeu tudo isto.
4  Agora, pois, eis que te soltei, hoje, das cadeias que estavam sobre as tuas mãos. Se te apraz vir comigo para a Babilônia, vem, e eu velarei por ti; mas, se te não apraz vir comigo para Babilônia, deixa de vir. Olha: toda a terra está diante de ti; para onde parecer bom e reto aos teus olhos que vás, para ali vai.

Comentário:
Deus usou o comandante da babilônia para soltar Jeremias do cativeiro,também o usou para dizer que tudo aquilo que estava acontecendo por que eles pecaram e desobesobedeceram á Deus. 
Interressante como Deus usa as pessoas a nossa volta para nos advertir de coisas que seriam tão óbvias pra nós,que nós como crentes deveriamos saber decor e saltiado,e como Deus usa um homem considerado ímpio para livrar um profeta.
Nos versículos 2 ,3 O comandante babilônico que não conhecia a Deus reconheceu que Deus dera vitória aos babilônios.
È estranho quando pessoas reconhecem que Deus existe e faz milagres,porém não o aceitam pessoalmente.
Conhece-lo não é mais do que saber algo a seu respeito.
Sabemos quem é Deus, conheçemos seus feitos,reconhecemos sua soberania, e poder,ouvimos dos seus feitos de justiça,sabemos da sua existência, e mesmo assim, muitas vezes não deichamos Ele governar nossas vidas, nos entregando totalmente,inteiramente, sabedores de que tudo é por Ele e para Ele. 

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O que é Adorar

• O Que É  Adorar

Segundo Os Dicionários, Adorar É O Mesmo Que Venerar, Reverenciar, Idolatrar, Amar Excessivamente, Cultuar… Por Isso Somente Deus É Digno De Toda Adoração.
O Que É Adorar A Deus
É Expressar O Que Sentimos, Diante Dele E Dos Homens, Não Apenas Com Palavras, Mas Principalmente Com Ações.
• Os Tipos De Adoração
O Próprio Senhor Jesus É Quem Define Os Tipos De Adoração.
 Em Poucas Palavras No Evangelho De João 4;23-24, 23  Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
24  Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.
 Ele Diz Que A Verdadeira Adoração É Feita Em Espírito e Em Verdade.
Bom,Se Ele Diz Que O Pai Está à Procura De Verdadeiros Adoradores Que O Adoram Em Espírito E Em Verdade,É Porque Existem Os Falsos Adoradores Que Expressam A Falsa Adoração.
Adorar A Deus É Mais Que Cantar Pular, Dançar Ou Qualquer Outro Movimento… É Mais Que Vir Aos Cultos,É Mais Que Arrumar A Igreja,É Mais Que Ofertar…A Canção, A Dança, Vir A Igreja,Arrumar As Cadeiras E Etc Podem Ser Ações Feitas De Um Coração Adorador.Deus Não É Tocado Por Emoções,Deus É Tocado Pela Motivação Do Nosso Coração.Deus Tem Sede De Encontrar Pessoas Que O Adorem Verdadeiramente.Mas Qual É A Adoração Que Chama A Atenção De Deus
Muitas Pessoas Na Bíblia Ofereceram Adoração Ao Senhor Deus, Mas Vamos Aqui Retratar Apenas Quatro Pessoas Que Ficaram Muito Conhecidas Com Sua Forma De Adorar…
Verdadeira Adoração
A Pecadora Que Ungiu Os Pés De Jesus – Lc 7; 37-38
A Bíblia Não Delata O Nome Dessa Mulher, Diz Apenas Que Ela Era Uma Pecadora. A Ação De Chorar, Beijar E Derramar Ungüento Aos Pés De Jesus, Demonstra Arrependimento De Pecados E Reconhecimento De Que Ele Era Digno De Ser Adorado,Pois Ele Era Santo E Poderoso.Ela O Reconheceu Como Salvador.Essa Adoração Pode Ser Considerada Verdadeira Pois Expressou Arrependimento,Quebrantamento E Entrega.
Maria Unge Os Pés De Jesus – Jo 12; 3
Diferente Da Mulher Pecadora, Maria Era Crente E Até Já Tinha Experimentado Dos Milagres De Jesus, Mas A Sua Ação Diante De Jesus, Também Reflete Uma Verdadeira Adoração. A Ação De Maria Vai Além De Arrependimento, Quebrantamento E Reconhecimento,Nessa Adoração Podemos Perceber O Que Uma Vida Consagrada A Deus Pode Causar Em Outras Vidas E Até Mesmo Na História.O Cheiro Exalado Através Daquela Adoração,Era Uma Prévia Do Que Deus Faria Pela Humanidade Através Do Sacrifício de Salvação De Jesus.Aquele Cheiro Não Era Apenas O Cheiro Do Puro Nardo,Um Perfume Caro E Usado Apenas Em Ocasiões Especiais,Aquele Cheiro Era A Essência Que Todo Crente Deve Exalar,O Bom Perfume De Cristo.Devemos Desejar Ser O Bom Perfume,Que Por Onde Passa Deixa Rastro De Cristo.
A Falsa Adoração
O Fariseu Simão – Lc 7; 36-47
Esse Homem Estava No Mesmo Lugar Em Que A Mulher Pecadora Estava, Ou Melhor, A Casa Era Dele. Ele Abriu As Portas De Sua Casa ,Permitiu Que Jesus Até Entrasse,Mas Criticou Quando Jesus Perdoou Aquela Mulher.O Fariseu Simão Não Reconheceu O Poder Perdoador De Jesus Cristo,Ele Não Se Envolveu Com Jesus,Não Permitiu Que Jesus Também Operasse Um Milagre De Libertação E Salvação Em Sua Própria Vida.Jesus Em Sua Casa,Ou Seja, Em Sua Vida Era Apenas Sinal De Status.
Judas Iscariotes – Jo 12; 4-6
Apesar De Ser Um Homem Que Andava Com Jesus, Ouvia Seus Mandamentos E Via Seus Milagres, Judas Não Tinha Um Coração Adorador. Era Mesquinho,Ladrão,Crítico…Jesus Estava Com Ele,Mas Ele Não Estava Com Jesus.Ele Não Sabia O Que Era Adorar Em Espírito E Em Verdade.Louvava Com Os Lábios,Mas O Seu Coração Estava Longe De Deus.Suas Ações Demonstravam Uma Falsa Adoração.
• Conclusão
Deus Não Está Procurando Pessoas Importantes, Deus Procura Verdadeiros Adoradores, Que O Adore Em Espírito E Em Verdade. A Verdadeira Adoração É Aquela Que Rompe Tradições,É Aquela Que Reflete Arrependimento,Quebrantamento,Rendição – Que É Entrega E Santidade.A Verdadeira Adoração Chama A Atenção De Deus,Ela Exala A Essência De Jesus, Rompe Cadeias Físicas E Espirituais.A Verdadeira Adoração É O Som De Um Coração Quebrantado, Que Foi Perdoado.A Verdadeira Adoração Proclama Que É Jesus E O Que Ele Pode Fazer!Aleluia!Quem Pode Calar Um Adorador, Mesmo Sem Voz, O Seu Cheiro É Exalado Por Onde Ele Passar


Camila Pereira Silveira



O Coração de um Adorador

Ocoraçãodoadorador

O Coração de um Adorador

 

“Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são adoradores assim que o Pai procura. Deus é espírito; e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” João 4:23-24
Verdadeira adoração não tem a ver com canções, vocais, bandas ou corais. Todas essas coisas contribuem para uma grande expressão de adoração, mas a essência da adoração é quando seu coração e alma e todo o seu ser estão ligados e adoram o Espírito de Deus.
A maioria das pessoas está mais acostumada com adoração congregacional como uma igreja, mas é quando você adora um a um, como um amante de Cristo que você entra em uma intimidade onde estão só você e o Senhor, como nunca se viu antes.
Adoração é um ato de obediência do coração. É uma resposta que exige a plenitude de tudo o que você é, por amor ao Senhor pelo que Ele é, não apenas pelo que Ele faz.
Louvor, por sua vez, é uma explosão de ações de graças e fé. Não é apenas canções rápidas, mas um sacrifício de louvor que é freqüentemente ofertado até quando não se sente que deve louvar, até que você diz: ” eu louvarei ao Senhor em todo o tempo, Seu louvor estará continuamente em meus lábios, eu irei a sua presença com ações de graças em meu coração e entrarei em seus átrios com louvor.”
Adoração vai além do nosso sentimento, ou das circunstâncias que você está vivendo. Leva você a magnificente presença de Deus. “Dê ao Senhor a Glória do Seu nome: tragam uma oferta e venham diante dEle. Oh, adorai ao Senhor na beleza da sua santidade!” (2 Crônicas 16:29)
Adoração é alguma coisa que é vista pelos seus atos e não apenas pelas palavras que se fala ou canta. Não é um ritual. Você não vai a igreja e segue fórmulas. Adoração envolve o nosso coração, mente e vontade. Adoração é se dar totalmente, em toda verdade e honestidade, envolvendo e refletindo o amor e generosidade de Cristo.
A palavra adorar é um verbo, uma palavra de ação. Isto significa estar cheio de adoração, se prostrar, reverenciar, e permanecer na profundidade da beleza do Senhor.
Adoração é mais do que cantar belas canções na igreja. É mais do que instrumentos e música. Como um verdadeiro adorador, seu coração poderá adorar ao Senhor em todo o tempo, em todos os lugares e com toda a sua vida.
As escrituras dizem que devemos trazer uma oferta, embora você sinta que não tem nada a oferecer. Tudo o que Deus quer é o seu coração. Ele não precisa do seu talento, sua habilidade musical ou todas as coisas que você pode fazer – Ele quer você!
Nós podemos aprender muito com o salmista Davi. Como um jovem pastor de ovelhas, ele não era tão surpreendente – ele era simplesmente muito fiel e verdadeiramente amava a Deus. Deus viu o coração daquele servo e o descreveu como “eu encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda minha vontade.” (Atos 13:22).
Você não tem que ser um grande cantor ou músico para ser um grande adorador. Mesmo estando em um corpo, ou como um indivíduo, abra o seu coração e adore ao Senhor com todo o seu ser. Isto é o que ele está pedindo.
Darlene Zschech

O Privilégio de ser Pastor

O Privilégio de ser Pastor


Como pastor existem muitas cobranças a respeito da idoneidade, de apresentar um bom testemunho, por esta razão você não deve dar lugar a intimidades. O lugar do pastor é junto do seu rebanho, portanto deve ser cuidadoso por onde tens andado. 

Ser pastor é previlégio ou não de alguns, porém se você quer mesmo ser um pastor ou tem vocação divina deve tomar alguns cuidados.
Segue aqui alguns relatos do autor do livro o Jovem Pastor, John B. Wilder, que com sua longa experiência de ministério, vem alertar a estes vocacionados acerca de alguns erros que devem ser evitados e dificuldades como enfrentá-las ou prevenir-se.
Ser Ministro é ser pastor ou guia espiritual. O verbo ministrar significa servir, atender ou contribuir. Só a chamada é poderosa para fazer que você resista a tudo nas horas difíceis. Só ela fará que, passado o primeiro entusiasmo, em face das lutas, quando os problemas tiverem convertido em inextricável enleio o seu trabalho pastoral, você ainda permaneça na certeza inicial. Se você foi chamado para o ministério sagrado, saberá tirar partido das dificuldades, e não renunciará, não deixará sua igreja, mas a ela se sentirá ainda mais ligado, na solidariedade dos momentos duros.
Existem alguns fundamentos necessários ao ministério como a fidelidade, crença, convicção, reconhecimento, dedicação.
A fidelidade consciente à Palavra de Deus - é mister que você tenha a Bíblia como sua única regra de fé e prática, acatando sua autoridade, nela pautando tanto o que disser como o que fizer.
A crença inabalável no valor da alma humana - há de dizer-se que a alma é o homem: é o que e quem ele é. É o centro de sua inteligência, de seu caráter e de sua coragem. Quando se trabalha com a alma, lida-se com a eternidade.
A convicção de que fora de Cristo não há salvação - importa lembrar o que diz a Bíblia: “... porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos”(Atos 4:12). Ter ainda convicção de que o diabo existe. É uma realidade. Orça por suicídio espiritual de um pastor o não reconhecimento da existência do tentador. O diabo há de resistir-lhe, o provocará, fá-lo-á de tolo, insuflar-lhe-á desânimo, destruí-lo-á e o desgraçará se ele não se precaver contra a veracidade de sua existência e contra a força do seu poderio para o mal.
A dedicação completa da vida ao Espírito Santo de Deus - impõe-se a verdade de que sem Deus você nada fará com êxito em seu ministério.
Como pastor existem muitas cobranças a respeito da idoneidade, de apresentar um bom testemunho, por esta razão você não deve dar lugar a intimidades. Que todos saibam guardar distância de você e lhe atribuirem respeito. Não deve um pastor ser contador de piadas inconvenientes, nem ser pronunciador de palavrões, pois o mesmo atrofia a alma. Haja cuidado nas ilustrações de seus sermões, para não dar lugar a exageros que pendam pela mentira.
O lugar do pastor é junto do seu rebanho, portanto deve ser cuidadoso por onde tens andado. Nenhuma igreja pode aspirar à maturidade com um pastor ocupado com outras tarefas, fora da igreja, devemos atentar para esta colocação, pois em nossos dias existem pastores desenvolvendo funções, que tem ocupado mais tempo do que seu próprio ministério.
O Pastor deve ser cuidadoso com sua aparência externa tanto quanto como a interna. Fazer a barba regularmente, pois seu rosto pode não ser muito bonito, mas, se estiver de barba feita, tornar-se-á pelo menos agradável. Quanto aos cuidados dos dentes, cuidar para que os mesmos tenham escovações também regulares, evitando o mal hálito e amarelação dos mesmos.
Os cabelos devem sempre estar bem cortado e penteado ou se caso estiver crescido, bom é que faça uso de fixador para os mesmos.
As roupas deverão sempre estar bem passadas e de preferência combinando as cores, o mesmo cuidado deverá ser dado a gravata, que por muitos são desprezadas sempre estando em desacordo com a cor da roupa ou muita das vezes toda amarrotada.
Algumas tarefas são atribuidas aos pastores como o cuidado que deve ter com o povo. Sua tarefa é acudí-las nas necessidades espirituais e encaminhá-las para a salvação pessoal. O pastor deve ser homem preparado em relações humanas. Deve saber guardar segredos e confidências que recolher no exercitar o seu ofício pastoral. As confidências são como segredos profissionais, que se guardam avaramente. Há quem nos faça depositário de seus segredos e, depois, se torna nosso inimigo pelo fato de no-los haver revelado.
“Se alguém cuidar ser religioso e não refreiar a sua língua, sua religião é vã.” (Tiago 1:26). Não revele suas fraquezas, sua esperanças e seus desejos a outrem. Evite quando puder, a popularidade pois a mesma é tirania. Muitos pastores, para serem populares, sacrificam tudo - igreja, família, a si mesmos. Querem estar presentes em festas, congressos, retiros, e deixam tudo para cortejar a popularidade em seu meio.
Tenha um coração de tal maneira sensível que possa compreender a dor alheia, os impulsos de cada um e as tormentas que vão na alma de muitos. Sorria mesmo que isso lhe custe bastante. Use de sinceridade nos negócios. Pontualidade no solver de suas obrigações.
Conserve zelosamente seu crédito. Seja cortês para com os funcionários públicos e dê-lhes ajuda, se for preciso. Dê tempo e atenção aos jovens do seu lugar, tanto nos trabalhos da igreja como nos esportes. Seja amigo do seu povo. Fale a todos a quem encontrar. Faça um aceno amável a todos, mesmo que não seja retribuído. Não esqueça os velhos, trate-os com o mesmo cuidado que os jovens. Ídem para as crianças.
Pode chegar ocasião quando você será compelido a deixar sua igreja por causa da oposição de algum indivíduo ou de algum grupo dela. Isso tem acontecido a muitos pastores. Se isso acontecer, saiba que deve manter a cabeça fria e quente o coração. Isso honrará a Deus e trará benção para o seu coração. Se alguma hora sentir que errou em seu ministério, declare-o sem constrangimento perante a igreja. Isso é como engolir novamente o que se falou.
Sempre cometemos erros quando damos lugar as emoções, agindo impulsivamente trazendo alguns danos para o ministério. É melhor esperar por hora oportuna para falar ou fazer alguma coisa. Quando a tempestade amainar, quando o coração se acalmar, então será momento para fazer ou falar.
O Pastor deve ser bastante cauteloso com as filhas de Eva. Nenhuma outra porção do trabalho do pastor é mais importante do que suas relações com o mundo feminino. Não há maior perigo na vida dum pastor que o que advém do mundo feminino. Por isso sabendo que é assim, ele deve precaver-se, cuidar de seus lábios, sua mente e seus olhos, sem esquecer de cuidar das mãos. Ao lidar com mulheres, em qualquer circunstâncias, deve o pastor usar a cabeça.
Pela nobreza da vocação e pela alteza da causa de Deus que o chama, seja prudente como as serpentes e simples como as pombas, conforme lá está dito na Bíblia. Em nenhuma hipótese deverá falar a uma mulher sozinha num quarto de hotel, no seu carro ou no dela, deve pôr a mesma cautela. Quando efetuar visitas faça-o sempre acompanhado ou que o marido ou o pai da mulher esteja em casa para evitar dar margens a comentários.
O pastor precisa de ter sua esposa, porque, sem ela, ele é semelhante a casa sem telhado, automóvel sem pneus ou garrafa sem tampa.
O Pastor deve ser cuidadoso no que diz respeito ao seu coração, como diz a Bíblia (Jeremias 17:9) “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas e perverso; quem o poderá conhecer?”.
O homem deve vigiar e guardar seu coração. O melhor é pensar que a admoestação é dirigida toda a humanidade.
Vemos um exemplo prático disto com Davi, homem segundo o coração de Deus, que mesmo depois de ter Deus em sua vida, cometeu adultério, e homicídio. Outro também que vemos é Paulo, dizendo que tudo oque ele queria fazer, não o fazia e tudo oque não queria fazer vivia fazendo. Por esta e outras é que o homem deve vigiar.
Devemos ser cuidadosos para não sermos vaidosos, nem orgulhosos, complacentes ou negligentes, ciumentos, intolerantes, procedências estas do coração não preparado. Depois de vinte anos em que Davi ainda sentia dores de seus erros, declarou em Salmos 108 “O meu coração preparado está para render-Te louvores.”
O púlpito é considerado o lugar mais santo dentro de uma igreja, semelhante ao templo antigo, onde existia o santo e o santo dos santos. O púlpito se assemelha ao santo dos santos onde o sacerdote oferece o sacrifício do povo a Deus e recebe de Deus para falar ao povo.
O Pastor deve dispor de tempo para sua esposa e filhos, enfim para si próprio, pois muitas das vezes dedica-se tanto ao ministério e acaba se separando da esposa pois o mesmo não tem tempo para ela, por isso seja vigilante se tem feito isso.
O Pastor deve ser transparente com relação as suas finanças, para evitar os falatórios inúteis, onde seguem dizendo que o pastor está usando dinheiro da igreja para adquirir bens.
Deixe boas recordações de seu ministério, bons exemplos, causando sempre sede e fome de justiça a igreja.
Deixe de ficar afirmando que ovelhas gera ovelhas e o pastor cuida, seja também gerador de ovelhas, pois o ide de Deus é tanto para ovelhas como para pastores. Não queira fazer tudo sozinho, delegue funções específicas a liderança.
Um Pastor de almas precisa ter:
A paciência de Jô
A plenitude do Espírito de Estêvão
A fé de Abraão
A integridade de José
A mansidão de Moisés
A obediência de Samuel
A coragem de Davi
A amizade de Jônatas
A fidelidade de Elias
A simpatia de Isaias
A humildade de Jeremias
A firmeza de Daniel
A sinceridade de Natanael
A consolação de Barnabé
A pureza de Timóteo
O amor de João
O espírito evangelístico de Paulo

BIBLIOGRAFIA
John B. Wilder - O Jovem Pastor - Tradução Judith Brice - 4ª Edição - JUERP.
Fonte: Marcos da Silva 

O povo vence a Batalha porque Deus estava com eles.

I Reis 20:1-43

Nos conta sobre como Deus deu vitóriaa Israel.
Toda a batalha foi travada por motivos de vingança, sim um filho querendo o que o pai do outro filho lhe havia tirado.
No caso o rei Ben-Hadade,rei da Síria, envia mensageiros ao rei Acabe para lhe dizer que tudo o que ele tinha lhe pertencia, v 3 A tua pratae o teu ouro são meus;e as tuas mulheres e os melhores dos teus filhos são meus.
respondei o rei de Israel dizendo conforme dizes tudo é teu,tudo quanto tenho.
Não satisfeito com a resposta do rei de Israel, o rei da Síria,manda mensageiros para dizer que não ficaria satisfeito apenas em ser resarsido os bens, mas que queria guerra.Afrontou Acabe dizendo que a fama de Israel em vencer batalhas estava nas planícies e não nas montanhas,que com certeza ele venceria Acabe e seu exército nas regiões montanhosas.

BATALHA: Desde a época de Josué,os soldados de Israel tinham a reputação de serem vencedores nos montes,porém ineficazes nas planícies e vales abertos porque usavam carruagem nas batalhas.As puxadas por cavalos eram inúteis em terrenos montanhosos e em florestas densas,podiam facilmente abater um grande número de soldados  a pé,nas planícies.O que os oficiais do rei da Síria não entendiam era que Deus, e não as carruagens ,faziam a diferença nas batalhas.
Quando você enfrentar batalhas emocionais e espirituais lembre-se que a vitória não virá apenas através da sua forma de lutar nestas batalhas.A vitória virá por Deus estar do seu lado.

domingo, 20 de abril de 2014

Pastores segundo o coração de Deus

Pastores Segundo o Coração de Deus e Pastores Infiéis

Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e inteligência. Jeremias 3:15

Introdução: Ultimamente tem surgido clamores de igrejas, tanto da Alemanha, Rússia e do Brasil, onde o procedimento de vários pastores é completamente contrário aos princípios da Palavra de Deus.

Por esta razão faz-se necessário uma exposição resumida dos princípios Bíblicos quanto a esta questão, bem como verificar os procedimentos que a Palavra de Deus aprova ou condena.

Princípio Bíblico de Liderança.
Em primeiro lugar, a palavra pastor nunca aparece na Bíblia como sendo uma profissão, e sim, como um ministério.

PASTOR

1) Guardador de gado {#Gn 13.7}.

2) Governante {#Jr 3.15}.

3) Deus {#Sl 23.1} e Jesus {#Jo 10.11}.

4) Ministro da igreja {#/ RC Hb 13.17; 1Pe 5.2

Aprendemos que os presbíteros da igreja deveriam pastorear o rebanho. Pastorear não é exercer um cargo. e sim cuidar do estado espiritual daqueles que foram salvos por Cristo Jesus.

Em segundo lugar, o Novo Testamento não conhece um sistema onde uma só pessoa tem essa responsabilidade, que sempre era atribuída a vários presbíteros.
Atos 20:17 “De Mileto mandou chamar os presbíteros da igreja”.
E a estes presbíteros Paulo falou: Atos 20:28 "Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu Bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue,"
Atos 14:23 "E, promovendo- lhes em cada igreja a eleição de presbíteros (plural) depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido"
Tito 1:5 b ". .. bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi."

Notamos em todas estas passagens que o Novo Testamento ensina que cada igreja deve ter vários presbíteros (Líderes) e que eles em conjunto tem a responsabilidade de pastorear o rebanho de Deus.
Naturalmente numa igreja nova isto levará alguns anos até que a igreja tenha vários presbíteros, porém este sempre deve ser o objetivo.

O Novo Testamento desconhece totalmente um sistema onde um pastor tem o comando e os outros tem a obrigação de obedecer, na igreja de Cristo.

Evidentemente haverá a necessidade de um dentre, os presbíteros, dirigir o planejamento mas a responsabilidade pastoral recai sobre todo o presbitério.



As diferenças entre uma liderança dentro dos princípios bíblicos e dentro dos princípios egoístas e carnais são explicadas com bastante detalhes, tanto no Velho como no Novo Testamento.

Queremos fazer uma comparação entre os dois tipos de pastores.


2. Pastor segundo o coração de Deus.


Já mencionamos que pastorado não é profissão - é ministério.

Quando Jesus designou o apóstolo Pedro para pastorear o rebanho, não perguntou das suas habilidades profissionais, e sim:

João 21:15-17 "amas-me mais do que estes outros? "
Quem ama a Jesus, também amará aos que foram resgatados por Jesus e os tratará como Jesus os tratou.

Vamos ver algumas das características do pastor segundo o coração de Deus.
 

Primeira característica:

Auto entrega.

"O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas". João 10:11.

Este foi o exemplo que Jesus nos deu.

O apóstolo Paulo nos dá um exemplo de como se age com pessoas, mesmo cheio de problemas - e até fazendo oposição ao ministério, como foi o caso dos coríntios.

A estes Paulo escreve: "Eu de boa vontade me gastarei e ainda me deixarei gastar em prol das vossas almas. Se mais vos amo, serei menos amado?" II Coríntios 12:15.

O pastor segundo o coração de Deus não tem pena de si - ele se entrega e se gasta em beneficio das ovelhas de Cristo.

Segunda característica: Preocupação com a restauração de cada um individualmente. A parábola da ovelha perdida nos mostra este fato:

"Que vos parece? Se um homem tiver cem ovelhas, e uma delas se extraviar, não deixa para ele nos montes as noventa e nove, indo procurar a que se extraviou? E, se porventura a encontra, em verdade vos digo que maior prazer sentirá por causa desta, do que pelas noventa e nove, que não se extraviaram. Assim, pois, não é da vontade de vosso Pai celeste que pereça um só destes pequeninos." Mateus 18:12-14.

Qualquer pastor segundo o coração de Deus fará de tudo para recuperar pessoas que estão se afastando do rebanho.

Terceira característica: O pastor segundo o coração de Deus não se coloca em evidência, e sim, prega a Cristo: “Porque não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor, e a nós mesmos como vossos servos por amor de Jesus" II Coríntios 4:5.

O pastor segundo o coração de Deus sempre ha de se considerar um servo, dando toda a honra a Cristo Jesus.


Quarta característica: O pastor segundo o coração de Deus não age como dominador sobre o rebanho, antes serve como exemplo: ". . . nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes tornando-vos modelos do rebanho”. I Pedro 5:3.

O bom pastor anda na frente do rebanho. como o seu exemplo e as ovelhas o seguem.

3. Pastores infiéis
A Bíblia nos fornece muitos elementos pelos quais se pode reconhecer o abuso neste ministério - tanto no Velho como no Novo Testamento.

Quais são as características de um "pastor” infiel?

 Primeira característica:

Não busca ao Senhor para saber a sua vontade: "Porque os pastores se tornaram estúpidos e não buscam ao Senhor; por isso não prosperam, e todos os seus rebanhos se acham dispersos. Jeremias 10:21.

O "pastor” que não se orienta pela Palavra de Deus pode manter o domínio sobre o rebanho por algum tempo mas aos poucos o rebanho vai se dispersando.

Segunda característica do "pastor" infiel:

Ele apascenta a si mesmo: "Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas? Comeis a gordura, vestis-vos de lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. "Ezequiel 34:2-3.

O "pastor" infiel sempre está interessado em defender os seus direitos - seu salário, seu dia de descanso, sua privacidade, sua família. Gasta a maior parte do tempo cuidando de seus próprios interesses.


Terceira característica do "pastor" infiel:

Ele não apascenta as ovelhas: " A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não li gastes, a desgarrada não tomastes a trazer e a perdida não buscastes... Ezequiel 34:4.

O "pastor" infiel faz poucas visitas aos membros, deixa os fracos na sua fraqueza, deixa os “feridos espirituais" sem cuidar da sua recuperação e não vai atrás dos que estão se afastando. Mesmo quando procurado, sempre acha alguma desculpa para não atender aos que necessitam de cuidado espiritual. Ele não quer ser perturbado em seu descanso. Mas faz questão de um bom salário. Quando faz visitas. costuma visitar não os que necessitam, mas os que o apoiam na sua posição.

Quarta característica do "pastor" infiel:

Ele exerce domínio sobre o rebanho: "Mas dominais sobre elas com rigor e dureza" Ezequiel 34:4b.

O "pastor” infiel age como se fosse dono da igreja e considera a obrigação de todos os demais como sendo a mera obediência às suas ordens. Ele desobedece frontalmente a ordem de Deus: "Não como dominadores sobre o rebanho...". I.Pedro 5:3.

Quinta característica do "pastor" infiel:

Ele quer ter a primazia: "Escrevi alguma cousa à Igreja; mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida." III.João 9.

O "pastor" infiel, não quer ser um servo da Igreja II Coríntios 4: 5  Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos, por amor de Jesus.,

Mas quer ser um chefe na igreja. Não aceita ser um co--presbítero com os outros (I Pedro 5: 1)    mas quer ser um chefe-presbítero. Ele é obstinado pelo poder. E por isso não costuma ler cartas quando outros escrevem para ajudar (III. João 9) para não perder o seu domínio sobre a igreja.

Sexta característica do "pastor" infiel: Ele não dá acolhida na igreja a pessoas que não apoiam a sua ditadura: "Não nos dá acolhida" III. João 9b. Ele faz de tudo para evitar qualquer contato de membros com pessoas de fora que poderiam ajudar a igreja a retornar aos princípios bíblicos.

Sétima caraterística do "pastor" infiel: Ele difama e faz calúnias contra pessoas que tentam ajudar a igreja: ". . . proferindo contra nós palavras maliciosas" III João 10b 
Ele não pode provar com a Bíblia que está certo, então procura desacreditar outros obreiros que poderiam ajudar, levantando calúnias contra eles.

Oitava característica do "pastor" infiel: Proíbe a igreja de manter contato com pessoas que não apóiam a sua posição anti-bíblica. "E não satisfeito com estas causas, nem ele mesmo acolhe os irmãos, como impede os que querem recebê-los... "III. João 10b Ele faz de tudo para isolar qualquer pessoa que poderia ameaçar o seu domínio.

Nona característica: Expulsa os insubmissos à sua ditadura da igreja:

"E os expulsa da igreja". III. João 10c. O "pastor" infiel não tem a mínima preocupação com a manutenção de membros da igreja que poderiam ameaçar a sua autoridade. Não faz nenhum trabalho espiritual de recuperação, não segue os princípios de Mateus 18,15-17

15 ¶ Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão.

16  Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que, pela boca de duas ou três testemunhas, toda palavra seja confirmada.

17  E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano. -simplesmente se quer ver livre dos que não apóiam a sua posição autoritária - e os expulsa sumariamente.

4. Consequências para a igreja que tolera um pastor infiel:
Os membros se espalham: "Assim se espalham, por não haver pastor, e se tomaram pasto para todas as feras do campo. As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes, e por todo o elevado outeiro; as minhas ovelhas andam espalhadas por toda a terra, sem haver quem as procure, ou quem as busque". Ezequiel 34:5-6
Numa igreja onde Cristo, o cabeça, é suibstituido por um “pastor” ditador, fatalmente o rebanho se espalhará.


5. Conseqüências para os “pastores” infiéis.
Deus vai dar termo ao seu pastoreio: "Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu estou contra os pastores, e deles demandarei as minhas ovelhas; porei termo ao seu pastoreio, e não se apascentarão mais a si mesmos; livrarei as minhas ovelhas da sua boca, para que já não lhes sirvam de pasto. Ezequiel 34:10. Um pastor ditador pode se manter por algum tempo no trono, porém o dia vem quando Deus mesmo o afastara do seu ministério.
Convém lembrar mais uma vez que toda a liderança da igreja é responsável perante Deus quando permite que se crie uma situação destas.

A toda a liderança é atribuída o cuidado pelo rebanho (Atos 20:17 a 28)  e cada um dará contas a Deus pelas pessoas que foram espalhadas.

Aos membros e igrejas cujos guias realmente velam pelas vossas almas queremos deixar o texto de Hebreus 13:17 "Obedecei aos vossos guias (plural) e sede submissos para com eles: pois velam por vossas almas como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não vos aproveita a vós outros”.

Aos obreiros recomendamos que examinem o seu ministério e se tem procedido de tal forma que. por sua causa, os membros se espalharam, que tenham a humildade de confessar o seu pecado e procurar reintegrar os que foram dispersos. Pois, conforme lemos em Hebreus 13.17 “nós obreiros, daremos contas a Deus pelas almas dos que nos foram confiados”.


 

Apenas Palavras

Salmo 78: 36-37
Mostra um povo que repetidas vezes afirmam que seguiriam á Deus,entretanto,depois se afastavam dEle.
O problema era que seguiam a Deus apenas de palavras,não com o coração; o arrependimento deles era superficial.Falar tem pouco valor se não for respaldado por uma atitude condizente.Deus deseja que a nossa vida prove as nossas convicções e promessas; Ele quer que sejamos crentes verdadeiros.

Tudo não passa de um treinamento básico

Salmo 78: 71-72
Embora davi estivesse no trono quando este salmo foi escrito,elefoi chamado de pastor de Israel,não de rei.O pastoreio,uma profissão comumnaquela época,era um trabalho que exigia muita responsabilidade.Os rebanhos dependiam completamente dos pastores para direção,provisão e proteção.Davi passou a sua juventude como um pastor ( ISamuel 16:10-11).Este foi o treinamentopara as responsabilidades futuras que deus o promoveu de pastor de ovelhas a pastor de Israel,o povo de Deus.Não ignore a sua situaçãopresente nem a considere com irresponsabilidade,ela pode ser o treinamento básico de Deus para o seu futuro.

sábado, 19 de abril de 2014

A Promessa de um Juízo

Jeremias 4:1 - 31
A Promessa de Juízo para o povo

1 ¶ Se voltares, ó Israel, diz o SENHOR, volta para mim; se removeres as tuas abominações de diante de mim não mais andarás vagueando;
2  se jurares pela vida do SENHOR, em verdade, em juízo e em justiça, então, nele serão benditas as nações e nele se glorificarão.
3 ¶ Porque assim diz o SENHOR aos homens de Judá e Jerusalém: Lavrai para vós outros campo novo e não semeeis entre espinhos.
4  Circuncidai-vos para o SENHOR, circuncidai o vosso coração, ó homens de Judá e moradores de Jerusalém, para que o meu furor não saia como fogo e arda, e não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras.
5 ¶ Anunciai em Judá, fazei ouvir em Jerusalém e dizei: Tocai a trombeta na terra! Gritai em alta voz, dizendo: Ajuntai-vos, e entremos nas cidades fortificadas!
6  Arvorai a bandeira rumo a Sião, fugi e não vos detenhais; porque eu faço vir do Norte um mal, uma grande destruição.
7  Já um leão subiu da sua ramada, um destruidor das nações; ele já partiu, já deixou o seu lugar para fazer da tua terra uma desolação, a fim de que as tuas cidades sejam destruídas, e ninguém as habite.
8  Cingi-vos, pois, de cilício, lamentai e uivai; porque a ira ardente do SENHOR não se desviou de nós.
9  Sucederá naquele dia, diz o SENHOR, que o rei e os príncipes perderão a coragem, os sacerdotes ficarão pasmados, e os profetas, estupefatos.
10  Então, disse eu: Ah! SENHOR Deus! Verdadeiramente, enganaste a este povo e a Jerusalém, dizendo: Tereis paz; e eis que a espada lhe penetra até à alma.
11  Naquele tempo, se dirá a este povo e a Jerusalém: Vento abrasador dos altos desnudos do ermo assopra diretamente à filha do meu povo, não para padejar nem para alimpar.
12  Vento mais forte do que este virá ainda de minha parte, e, então, também eu pronunciarei a sentença contra eles.
13  Eis aí que sobe o destruidor como nuvens; os seus carros, como tempestade; os seus cavalos são mais ligeiros do que as águias. Ai de nós! Estamos arruinados!
14  Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém, para que sejas salva! Até quando hospedarás contigo os teus maus pensamentos?
15  Uma voz se faz ouvir desde Dã e anuncia a calamidade desde a região montanhosa de Efraim!
16  Proclamai isto às nações, fazei-o ouvir contra Jerusalém: De uma terra longínqua vêm sitiadores e levantam a voz contra as cidades de Judá.
17  Como os guardas de um campo, eles cercam Jerusalém, porque ela se rebelou contra mim, diz o SENHOR.
18  O teu proceder e as tuas obras fizeram vir sobre ti estas coisas; a tua calamidade, que é amarga, atinge até o próprio coração.
19 ¶ Ah! Meu coração! Meu coração! Eu me contorço em dores. Oh! As paredes do meu coração! Meu coração se agita! Não posso calar-me, porque ouves, ó minha alma, o som da trombeta, o alarido de guerra.
20  Golpe sobre golpe se anuncia, pois a terra toda já está destruída; de súbito, foram destruídas as minhas tendas; num momento, as suas lonas.
21  Até quando terei de ver a bandeira, terei de ouvir a voz da trombeta?
22  Deveras, o meu povo está louco, já não me conhece; são filhos néscios e não inteligentes; são sábios para o mal e não sabem fazer o bem.
23  Olhei para a terra, e ei-la sem forma e vazia; para os céus, e não tinham luz.
24  Olhei para os montes, e eis que tremiam, e todos os outeiros estremeciam.
25  Olhei, e eis que não havia homem nenhum, e todas as aves dos céus haviam fugido.
26  Olhei ainda, e eis que a terra fértil era um deserto, e todas as suas cidades estavam derribadas diante do SENHOR, diante do furor da sua ira.
27  Pois assim diz o SENHOR: Toda a terra será assolada; porém não a consumirei de todo.
28  Por isso, a terra pranteará, e os céus acima se enegrecerão; porque falei, resolvi e não me arrependo, nem me retrato.
29  Ao clamor dos cavaleiros e dos flecheiros, fogem todas as cidades, entram pelas selvas e sobem pelos penhascos; todas as cidades ficam desamparadas, e já ninguém habita nelas.
30  Agora, pois, ó assolada, por que fazes assim, e te vestes de escarlata, e te adornas com enfeites de ouro, e alargas os olhos com pinturas, se debalde te fazes bela? Os amantes te desprezam e procuram tirar-te a vida.
31  Pois ouço uma voz, como de parturiente, uma angústia como da primípara em suas dores; a voz da filha de Sião, ofegante, que estende as mãos, dizendo: Ai de mim agora! Porque a minha alma desfalece por causa dos assassinos.

Comentário
Em todo esse capítulo Deus promete juízo ao seu povo por causa da malícia no coração, e de atos de injustiça, idolatrias, contaminação com outros povos, corrupção nos pensamentos, maldade nas atitudes, e o não reconheçimento de que eles estavam fazendo issso.

No próximo capítulo Deus fala mais especificadamente do porque do Juízo.
O mesmo Deus está em busca de um povo que seja somente dele, de corpo alma e espírito, que o ame e a mais nada e ninguém , que o prefira ,mais do que os deuses estranhos, que tenham atitudes de um povo que foi escolhido, para ser santo, para morar eternamente com um Deus misericordioso e bondoso, que jamais fez algo que os levassem a abandona-lo.
De tempos em tempos o povo se corrompe com as luxúrias desse mundo, e o pecado entra tanto no coração que eles não conseguem ver ou discernir entre o Santo e o profano.
Que você possa examinar seu coração e pedir a Deus para colocar Temor, e ser santo ( que singnifica SEPARADO POR DEUS E PARA DEUS). Não há outro motivo que faça com que a ira de Deus se ascenda contra seu povo.Quando trazem para o seu meio.
1-Perversidade.
2-Malícia
3-Injustiça
4-Idolatria
5-Esquecimento dos atos de amor de Deus
6-Pessoas que não buscam a verdade( a Palavra de Deus é a verdade). 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Em havendo arrependimento, sempre haverá misericórdia.

1 ¶ Mas desgostou-se Jonas extremamente disso e ficou todo ressentido.
2  E orou ao SENHOR e disse: Ah! SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus piedoso e misericordioso, longânimo e grande em benignidade e que te arrependes do mal.
3  Peço-te, pois, ó SENHOR, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver.
4  E disse o SENHOR: É razoável esse teu ressentimento?
5 ¶ Então, Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da cidade, e ali fez uma cabana, e se assentou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria à cidade.
6  E fez o SENHOR Deus nascer uma aboboreira, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira.
7  Mas Deus enviou um bicho, no dia seguinte, ao subir da alva, o qual feriu a aboboreira, e esta se secou.
8  E aconteceu que, aparecendo o sol, Deus mandou um vento calmoso, oriental, e o sol feriu a cabeça de Jonas e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver.
9  Então, disse Deus a Jonas: É acaso razoável que assim te enfades por causa da aboboreira? E ele disse: É justo que me enfade a ponto de desejar a morte.
10  E disse o SENHOR: Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que, em uma noite, nasceu e, em uma noite, pereceu;
11  e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que estão mais de cento e vinte mil homens, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?


Comentário:
1-Jonas é um profeta como outro qualquer,recebe a mensagem de Deus e a entrega.
2-Mas aqui vemos que Jonas tomar uma posição de rebeldia diante de uma ordem.
3-Com sua própria opnião formada a respeito do povo de Nínive Jonas decide que não quer entregar a Profecia,começa haver uma luta interior e ele começa a ser tratado por Deus.
4-Na primeira etapa da Profecia Deus manda Jonas profetizar contra Nínive,enquanto a Profecia condizia com o que Jonas pensava a respeito daquele povo e ele obedeceu a Deus.
5-Porém ele não esperava uma reação de arrependimento da parte do povo que diz que eles proclamaram um jejum.
6-Seria correto após chamar a atenção de alguém e não esperar que haja arrependimento ? 
7-Pois Jonas em sua forma de pensar não esperava que o povo se arrependesse.
8-Mas esperava que a profecia de justiça se cumprisse, até podemos dizer aqui que Jonas era meio Justiceiro.
9-Ora quando Deus ouve o clamor do povo e se compadece deles,Deus manda Jonas voltar lá e dizer o oposto da profecia, que não haveria mais destruição pois os homens de Nínive haviam crido em Deus.
10-Era algo simples pra Jonas agora, chegar lá e dizer ok vocês se arrependeram dos seus maus caminhos pois que o Senhor Deus ouviu do céus o vosso clamor e se compadeceu de vós,não temas pois a cidade não será mais destruida.
11-Mas não é isso o que acontece, ele fica desgostoso,ressentido.
12-Ele até apresenta um quadro de um Deus que muda de opinião com frequencia ou que é vacilante em suas ordens,que ridículo.
13-Mas Deus não tomou aquilo por afronta, mas deu um tempinho pra Jonas pensar melhor sobre o que estava falando.
14-Quando Jonas começa a dizer que queria ser morto, porque a cidade não seria destruida, Deus usa a natureza para falar com Jonas, Deus faz crescer uma aboboeira, para fazer sombra enquanto esse descansava.
15-Passou-se o período de descanso e Deus colocou um bicho que foi e comeu a aboboeira e a matou, e o sol vem e fere a cabeça de Jonas.
16-Jonas fica triste demais e começa a pedir pela morte,então Deus fala com ele.9-Acaso razoável é que te enfades por causa da aboboeira?
10- Tiveste compaixão da aboboeira,na qual você não trabalhou nela,nem a fizeste crescer ,que em uma noite nasceu e em outra pereceu.
11- e não terei eu (Deus) compaixão a cidade de Nínive,onde vivem mais de cento e vinte homens que não tem discernimento algum.

Conclusão:Qeridos as vezes tudo o que nós queremos é justiça a qualquer custo, não queremos dar oportunidade das pessoas se arrependerem de mudarem de atitude,de ter a chance de corrigir seus erros.
Jonas revelou sua relutância em ir a Nínive,ele queria que os ninivitas fossem destruídos,e não perdoados.Jonas não entendeu que o Deus de Israel é também o Deus do mundo todo.
Você se surpreende quando alguém que você não esperava se volta para Deus ?Há muitas pessoas que temum visão limitada como a de Jonas.
Não se esquece que na verdade nenhum de nós mereceia ser perdoado por Deus,mas mesmo assim alcançamos seu perdão.
Mas Glórias á Deus que o Senhor não é assim, Ele é um Deus misericordioso, e em sua infinita misiricórdia sempre dá uma chance das pessoas se arrpenderem e mudarem.
Como foi com a cidade.
Que você possa ter em seu coração que a justiça de Deus é infalível contra a perversidade e os coraçãoes endurecidos, porém em havendo arrependimento da parte da humanidade sempre haverá da parte de Deus MISERICÓRDIA.
 

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Consultar,Obedecer e esperar os sinais de Deus

I Crônicas 14 : 17
1 ¶ Então, Hirão, rei de Tiro, mandou mensageiros a Davi, e madeira de cedro, e pedreiros, e carpinteiros, para lhe edificar uma casa.
2  E entendeu Davi que o SENHOR o tinha confirmado rei sobre Israel; porque o seu reino se tinha muito exaltado por amor do seu povo Israel.
3  E Davi tomou ainda mais mulheres em Jerusalém; e gerou Davi ainda mais filhos e filhas.
4  E estes são os nomes dos filhos que tinha em Jerusalém: Samua, e Sobabe, Natã, e Salomão,
5  e Ibar, e Elisua, e Elpelete,
6  e Nogá, e Nefegue, e Jafia,
7  e Elisama, e Beeliada, e Elifelete.
8 ¶ Ouvindo, pois, os filisteus que Davi havia sido ungido rei sobre todo o Israel, todos os filisteus subiram em busca de Davi; o que ouvindo Davi, logo saiu contra eles.
9  E, vindo os filisteus, se estenderam pelo vale dos Refains.
10  Então, consultou Davi a Deus, dizendo: Subirei contra os filisteus, e nas minhas mãos os entregarás? E o SENHOR lhe disse: Sobe, porque os entregarei nas tuas mãos.
11  E, subindo a Baal-Perazim, Davi ali os feriu; e disse Davi: Por minha mão, Deus derrotou a meus inimigos, como a rotura das águas. Pelo que chamaram o nome daquele lugar Baal-Perazim.
12  E deixaram ali seus deuses; e ordenou Davi que se queimassem a fogo.
13  Porém os filisteus tornaram e se estenderam pelo vale.
14  E tornou Davi a consultar a Deus; e disse-lhe Deus: Não subirás atrás deles; mas anda em roda por detrás deles e vem a eles por defronte das amoreiras;
15  e há de ser que, ouvindo tu um ruído de andadura pelas copas das amoreiras, então, sai à peleja; porque Deus haverá saído diante de ti, a ferir o exército dos filisteus.
16  E fez Davi como Deus lhe ordenara; e feriram o exército dos filisteus desde Gibeão até Gezer.
17  Assim se espalhou o nome de Davi por todas aquelas terras; e o SENHOR pôs o seu temor sobre todas aquelas gentes.

Comentário:
Algo que me chama atenção sobre esse texto é que diz : "mandou mensageiros à Davi, e madeira,para lhe edificar uma casa"
Veja bem que após a bíblia relatar issso diz que "E entedendeu Davi que o Senhor o tinha confirmado rei em Israel"

1-Hoje em dia não é diferente, quando Deus confirma o chamado de alguém ele providência pessoas e o abençoaram com bens para a construção da casa.
2- Entendemos que Deus está no negócio quando há providência Divina, quando Deus começa a tocar no coração das pessoas para que elas nos abençoe de alguma forma.
3- Mas não quer dizer que quando isso não acontece significa que não temos um chamado, pode ser que Deus esteja nos provando para saber até que ponto estamos dispostos e disponíveis para o mesmo.
No versículo  8 diz " Ouvindo os filisteus que Davi havia sido ungido rei sobre todo o Israel ,todos os filisteus saíram em busca de Davi; o que ouvindo Davi,logo saiu contra eles".

4- Quando os nossos inimigos ouvem que nos foi concedido unção de Deus , eles se levantam contra nós, e nós não podemos ficar quietinhos esperando eles virem e tomar o território, mas a palavra mostra que davi foi contra eles.mas também diz algo MARAVILHOSO ,
V.10 "Então consultou Davi á Deus , dizendo: subirei contra os filisteus,e nas minhas mãos os entregarás ?E o Senhor disse sobe porque nas tuas mãos os entregarei.

5- Consultar á Deus sobre os nossos inimigos,e se Deus está conosco para vencermos uma batalha é de suma importancia no ministério,sabemos que muitos homens e mulheres de Deustem inimigos,e que eles vem com fúria contra o ministério,mas saber a hora certa de atacar e a hora que Deus os entregará em nossas mãos também e de suma importância,por isso o consultar a Deus para tomar atitudes ministeriais é algo que não nos deixa frustrados ministerialmente, mas nos deixa cada dia mais a certeza de que Deus é conosco e nos proteje.Com a derrota dos filisteus houve também a derrota de deuses, pois a palavra relata que eles deixaram ali seus deuses e Davi qeimou todos eles.

6- Mas os filisteus não se deram por vencidos, o que significa que nossos inimigos não se daram por vencidos ainda que foram derrotados e seus deuses queimados,mas a palavra diz que Davi tornou a consultar a Deus; e disse-lhe Deus :Não subirás atrás deles,mas anda em roda por detrás deles e vem a eles por defronte das amoreiras,e a de ser que ouvindo tu um ruido de andadura pelas copas das amoreiras,então sai a pelaja,porque Deus haverá saído diante de ti,a ferir o exército dos filisteus. E fez davi como Deus o ordenará .

7- Na segunda peleja o próprio Deus pelejou por Davi,a certeza de que Deus está conosco é assim vemos Deus pelejar por nós, mas veja bem a bíblia diz que houve um ato profético aqui, eles andaram ao redor detrás deles e esperaram pelo sinal de Deus, que foi o ruído.

Glórias á Deus ele nos dá sinal, irmãos : Vamos Consultar á Deus, Obedecer, Esperar os sinais. Isso nos garantirá vitória.



terça-feira, 15 de abril de 2014

O Valor e a Importância da Santa Ceia para a Igreja de Cristo

 Este é o site que proclama a voz do Espírito Santo
           
   
   A Importância da Santa Ceia para a Igreja de Cristo A Ceia do Senhor Jesus, é uma das Festas mais solene da Igreja, de muitíssima importância. A sua importância relaciona-se com o passado, o presente e futuro.
  Sua importância no Passado: É um ato «memorial» (gr. anamnesis) da morte de Cristo no Calvário, para nos remir da condenação (Luc 22.19; 1 Cor 11.24-26). «...Fazei isto em memória de mim...». Este é um importante elemento na Ceia do Senhor Jesus. Trata-se de umamemorial em face de tudo quanto Cristo foi e fez pelos homens, sobre tudo em sua expiação. Umas das funções da Ceia do Senhor Jesus é de fazer-nos lembrar a redenção que possuímos através de Cristo, que estende potencialmente a todos os homens, tal como a páscoa levou a nação de Israel a lembrar-se de sua redenção da servidão no Egito. Na celebração da Santa Ceia, as nossas mentes se voltam para o Calvário, relembrando do Sacrifício de Jesus, em nosso favor. Embora, que em todo tempo devemos lembrar-nos deste Santo Sacrifício, todavia, temos um dia especifico e oportuno para esta comemoração e meditação. É também um ato de «ação de graças» (gr. eucharistia) pelos benefícios provenientes do sacrifício de Jesus Cristo (Mat 26.27,28; Marc 14.23; Luc 22.19). «...Fazei isto...», isto é, «repeti este rito memorial, em lembrança de minha pessoa». Cumpre-nos relembrar tudo quanto Cristo fez em prol da humanidade, na redenção e na esperança que Ele nos trouxe; não permitamos que a sua vida seja vã para conosco, reconheçamos a importância da mesma. Tudo isso devemos perenemente relembrar.
   A ordenança sobre o elemento «memorial» da Ceia do Senhor Jesus, é levada a efeito para mostrar Cristo aos homens, para conservá-lo na lembrança dos crentes, e, sobretudo para relembra a «morte» de Cristo. É importante conservar o seu sacrifício expiatório perante os olhos dos homens. Este «memorial» entrou em vigor desde que Cristo encerrou a última refeição pascal com os seus discípulos, até à sua vinda. Por conseguinte, a Ceia do Senhor Jesus é uma forma especial de «ação de graças», pelo dom inefável de Jesus Cristo, o Redentor de todos os homens.
  Sua importância no Presente: A Santa Ceia expressa a nossa «comunhão» (gr. koinonia) com Cristo e, de nossa participação nos benefícios oriundos da Sua morte sacrificial e ao mesmo tempo expressa a nossa «comunhão» com os demais membros do Corpo de Cristo (1 Cor 10.16,17). A Santa Ceia, a mesa do Senhor Jesus é o lugar onde Cristo, o hospedeiro, se encontra com os remidos, é a mesa onde os dons preciosíssimos são dados e recebidos. É o lugar onde Cristo se identifica com a necessidade humana, a verdadeira necessidade, a necessidade da alma. A Santa Ceia é o símbolo da nossa união com Cristo. É o sinal externo e visível de uma graça interna e invisível. A Santa Ceia é uma festa de «ação de graças» onde rompemos em louvor a Cristo. Lembre-nos que a Mesa é do Senhor Jesus, Ele é quem nos convida a participar deste ato glorioso, foi Ele que se ofereceu e se entregou por nós, o convite é de Cristo, o hospedeiro, nós somos os seus convidados. Que glorioso é saber que Cristo não está ausente, mas presente conosco, de uma forma tão tremenda, que dEle participamos, ao comermos do pão e bebermos do suco da videira, os elementos que representam essa comunhão.
  Sua importância no Futuro: A Santa Ceia é um ato que antevê a volta iminente de Jesus Cristo para arrebatar a Sua Igreja e, um antegozo em podermos participar com Cristo, na Ceia das Bodas do Cordeiro (esta Ceia não é literal, mas figurada, espiritual, mística, pois lá (no reino celestial) não existe nem pão e nem suco de uva, (Luc 22.17,18,30; Apoc 19.9)). Uma das expectações de Paulo com relação à vinda de Cristo era a comemoração da Ceia do Senhor Jesus, quando esperançoso ele disse aos coríntios: «Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha» (1 Cor 11.26).
   «...anunciais a morte do Senhor, até que ele venha». Cristo foi arrebatado de nós em sua presença física. Mas até mesmo essa sua presença física nos será restaurada. Paulo vivia na expectação diária desse acontecimento, visto que não esperava o grande intervalo da era da Igreja, que já se prolonga por quase vinte séculos. Mediante a adição destas palavras, ele determinou a prática contínua da ordenança da Ceia do Senhor, até à restauração da presença visível do Senhor Jesus. Isso ensina a «perpetuidade» desse rito; e vai de encontro a interpretação dos «hiperdispencionistas», os quais ensinam que o batismo em água e Ceia do Senhor Jesus não tinha por intuito fazer parte das atividades permanentes da era da Igreja, mas antes, que deveriam ser eliminados, como sucedeu a todos os ritos e cerimônias, a fim de que a pura graça reinasse sem quaisquer ordenanças que simbolize a fé cristã. Mateus (o único entre os evangelhos sinópticos) concorda com Paulo sobre o sabor escatológico e profético da Santa Ceia (Mat 26.29; 1 Cor 11.26). Nela não só exibimos a morte do Senhor Jesus, «até que ele venha», mas também pomo-nos a meditar o sobre o tempo em que ele voltará para celebrar a Sua Santa Comunhão com os que lhe pertence, em seu reino glorioso. Cada celebração da Ceia do Senhor Jesus é uma prelibação e antecipação profética do grande banquete de casamento que está sendo preparado para a Igreja.
       As bênçãos e a segurança para aqueles que celebram a Santa Ceia            
   O Sacrifício de Jesus Cristo e a Santa Ceia estão inseparavelmente ligados. Consideramos que A Ceia do Senhor Jesus é um a «Festa espiritual em torno do Seu Sacrifício» (1 Cor 10.14-22). «Em memória de mim...» (Luc 22.19; 1 Cor 11.25,26). Visto que o sacrifício de Cristo tem que ser espiritualizado em tantos pontos, a linguagem acerca da Festa em torno de Seu sacrifício é indubitavelmente espiritualizada também, mas não deve ser despida do seu significado. Não participamos de um Cristo meramente físico, mas do Cristo Glorificado, o Deus que se encarnou. O modo pelo qual Cristo se mostra disponível para a nossa participação sobre a terra, hoje em dia, é presumivelmente na qualidade de Espírito Santo (João 14.16,17; 1 Cor 3.16).
   Semelhantemente, quando Jesus tomou o pão e o vinho (fruto da vide) e deu aos Seus discípulos, dizendo: «Fazei isto em memória de mim», não estava simplesmente a exortá-los para que mantivessem boa comunhão entre si, mas estava transmitindo um rito mediante o qual podiam mostrar em símbolo a Sua Presença Eterna com a Sua Igreja. Assim é que a Igreja tem aceitado o simbolismo das ordenanças; o Batismo em Água e a Ceia do Senhor Jesus. No pão e no vinho (fruto da vide) o adorador recebe mediante a fé, o verdadeiro Corpo e o Sangue de Cristo. Porque celebrar a Santa Ceia é participar de tudo o que Cristo fez por nós. Nas águas do Batismo simbolicamente significa a identificação da pessoa com Jesus Cristo na Sua morte, sepultamento e ressurreição e também o seu ingresso no Corpo de Cristo, externando que a pessoa é Igreja de Cristo (Rom 6.3-5; Col 2.12). Com essas ações a Igreja simboliza sua fé; mediante disto, as ordenanças não são apenas ilustrações, «mas também canais prescritos para a recepção da graça Divina» Enquanto estamos neste mundo, as ordenanças e os símbolos são necessários. Somente um espírito desencarnado é que pode ignorar estes fatos. O cristianismo é uma religião espiritual e mística, mas, todavia, que tem os seus símbolos, que representam a verdade acerca do Cristianismo. Por isto, ao celebrarmos a Ceia do Senhor Jesus de modo correto e ordeiro, conforme os principio bíblicos, observando todo o estatuto para dela participarmos, podemos assegurar:
  A) A Nossa genuína comunhão com Jesus Cristo:   Ao participarmos da Santa Ceia estamos garantindo a nossa comunhão com Cristo, a Cabeça da Igreja. Afinal fomos chamados à comunhão com Jesus Cristo e através da Santa Ceia, ao participar-se dela é que nós demonstramos e provamos esta comunhão. A nossa comunhão com Cristo só é assegurada quando participamos do Seu Corpo e do Seu Sangue, quem não participa do Seu Corpo e do Seu Sangue não está em comunhão com Ele e, não tem a Vida Eterna (João 6.53–58). Ao celebrarmos da Santa Ceia, participamos da alegria, da vida, dos sofrimentos e da Glória de Jesus Cristo (2 Cor 1.3-7; 1 Ped 4.12-14). Afinal vivemos e participamos de Cristo (2 Cor 5.15). Cristo não é apenas o organizador da festa; Ele é a própria festa.
  B) Nossa participação nos benefícios provindos do Sacrifício de Jesus Cristo: Na participação do Corpo e do Sangue de Cristo, demonstramos (tanto internamente como externamente) que seriamente temos aceitado o Sacrifício de Cristo e, que pela fé, assim fazendo, estamos compartilhando de todos os Benefícios oriundos daquEle Santo Sacrifício (Rom 3.24,25; 4.25; 5.6-21; 1 Cor 5.7; 10.16; Efés 1.5,7; 2.13; Cl 1.20; Heb 9-10; 1 Ped 1.18-21; Apoc 1.5). Ver o ponto acima.
 C) Nossa comunhão com os demais membros do Corpo de Cristo:  Primeiro é preciso termos comunhão com Cristo, a Cabeça do Corpo, mas também se faz necessário em ter comunhãocomo os demais membros do corpo de Cristo, a Sua Igreja (Atos 2.42: Filip 1.22; Col 1.18; 1 João 1.7). Ao celebrarmos a Santa Ceia de Cristo comprovamos a nossa «unidade espiritual» em Cristo Jesus e, que compartilhamos dos mesmos propósitos, da mesma fé, do mesmo amor, da mesma Palavra, das mesmas promessas, da mesma pureza e da esperança futura com Cristo na Sua Glória (João 17.21; Atos 20.34-38; Rom 12.5,10-20; 1 Cor 10.17; 12.12-27; Gál 3.28; Efés 4.13; 2 Tim 2.3). A Santa Ceia reúne todos os comprometidos com Cristo em torno dEle, pois está Presente conosco. Ninguém pode dizer que está em comunhão com Jesus Cristo e conosco se não participar do Seu Corpo e do Seu Sangue (João 6.53-58).
    Ao Celebrarmos a Santa Ceia, estamos assegurando o nosso Arrebatamento para o céu: Alguém pode chegar a pensar que o arrebatamento da Igreja e a Ceia do Senhor Jesus são casos distintos, ou que o arrebatamento independe da celebração da Santa Ceia de Cristo. Todavia, aqueles que não participam da Santa Ceia de Cristo ou participam indignamente, podem estar preparados para o arrebatamento da Igreja de Cristo? a) Como estão preparados se não estão em comunhão com Cristo e com a Sua Igreja! b) Se não estão discernindo o Corpo e o Sangue de Cristo, nos elementos da Santa Ceia! c) Não estão participando dos benefícios oriundos do Sacrifício de Jesus Cristo! d) Se não estão em santificação! Por isso, dissemos com precisão, aqueles que comem o pão e o cálice do Senhor Jesus, conforme o estatuto contido nestes ensinamentos, estão preparados para a qualquer momento serem arrebatados (Sal 24.3-5; Mat 5.8; Col 2.10; Heb 12.14; 1 Cor 11.29). Por conseguinte, a Ceia do Senhor Jesus é o nosso «alimento e bebida espiritual» que satisfaz os anseios da nossa alma, significando participação no Cristo ressuscitado, garantindo-nos a Vida Eterna (João 6.32-32,48-58). Não podemos esquecer, que o simbolismo da Santa Ceia expressa a realidade espiritual e mística, da nossa participação no Sangue e no Corpo de Cristo. Sem essa participação espiritual e mística (contato genuíno), simbolizada pelo pão e pelo suco de uva, não temos qualquer garantia de salvação.
           

DISCIPULADO

DISCIPULADO "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passaram" (Mateus 24:35) Os dias que virão serão melh...